quinta-feira, 23 de agosto de 2007

O problema será meu ou dos homens que eu encontro?
Este filme já foi visto por inúmeras pessoas, criticado por tantas outras, foi e continua a ser cabeça de cartaz desta minha vida cinematográfica.
Estou farta de ser a protagonista desta comédia romântica. Que me tem molestado no último ano.
Fazem-me acreditar que sou diferente. Que o seu pensamento a mim pertence.
Fazem me acreditar que o tempo que passam comigo é único.
Que o silêncio que nos acompanha durante o dia é normal!
A carência de obrigações e explicações são a base de toda a relação.
Não há necessidade de partilhar os sentimentos que aparecem e ocupam o meu pensamento.
Torno-me a melhor amiga. Contam-me sem medos o que os atormenta.
Os planos que têm e os que já tiveram. Ouço e avalio!
Respeitam o espaço pré-estabelecido. Sem acordo, ele existe, acreditem que sim!
Não se entregam, eu tenho medo de fazer o mesmo.
As palavras são apenas palavras que tento assimilar. Mas que não ganham força, nem presença na minha vida! São vazias e ditas em vão.
Os beijos partilhados são sentidos, pelo menos por mim! Por uma noite encontro paz nos braços de outro ser.
No entanto, todos estes casos efémeros vão construindo esta barreira que existe entre mim e o sexo oposto. Estou esgotada! Farta da pessoa que ganhou poder em mim!
Construída não só por um, mas por muitos, tornei-me uma pessoa má, sem sentimentos, calculista, orgulhosa da definição "Não vou amar" e sem esperança!
E assim vou deixando de saber o que é amar e partilhar o que tenho com outrem!
Já não sei o que é o amor!
Será que alguma vez soube?
Se sim perdi esse dom!
Os homens passam por mim e eu pela vida de cada um!Nenhum fica nem eu me deixo ficar!
Será tarde para voltar atrás e recuperar o que de verdadeiro já vivi e recusei?
O amor perfeito deixou de existir ou será que eu deixei de acreditar?





Vou esperar*

3 comentários:

Miguel Bugalho disse...

Então tens um blog e não dizias nada... Confesso que dei uma vista de olhos em todos mas li este último com mais atenção.
Parece que esse turbilhão de sentimentos (que muitas vezes nem o chegam a ser) atinge todos, ou muitos. E quem não pensa assim vive na ilusão (ou quase todos). Por outro lado, a vida são dois dias...

Parece-me que também estás a precisar de uns abanões :P
Beijão****

SusannaH disse...

Ouvi alguém uma vez dizer (não me lembro quem) que algumas vezes precisamos de uma pausa sabática no amor pra por-mos os sentimentos no sitio e a cabeça no ar..
não a percebi logo, vim a dar-lhe razão mais tarde..!

P.s. concordo com o miguel, estás a precisar de uns abanões lol

Anónimo disse...

deste a dica e agora aqui vai o meu comentário...
Existe quem nunca tenha deixado de te achar e sentir que és diferente.
beijo :) JP*